A IMPORTÂNCIA DA FLORA PARA A CONSERVAÇÃO AMBIENTAL

O Rio Grande do sul encontra-se numa faixa intermediária entre o trópico e os climas frios do sul. Este fato somado a diversidade de solos e de altitudes cria uma grande variedade de ambientes e formações vegetais. Estamos numa zona de fronteira de ecossistemas naturais. Um ecótono como dizem os cientistas. Temos aqui a floresta da araucária e a vegetação de campos nas zonas mais altas. Da zona litorânea vem a mata tropical atlântica. Dos lados do Uruguai vem a vegetação tropical do interior do continente. Do sul recebemos a vegetação de origem patagônica e pampeana. Todas estas diferentes formações geram grande  diversidade. Sobre elas incide a ação humana gerando paisagens naturais e culturais diferentes.

Compreender esta dinâmica é fundamental para entendermos o papel do gaúcho neste contexto. A tradição ecologista do nosso estado pode ser compreendida, em parte, como fruto desta diversidade. Tantas belezas estimularam os pioneiros na sua defesa e, ainda hoje, seguem inspirando um movimento ecológico forte e variado. Um dos trabalhos a que este movimento se dedicou com mais intensidade foi justamente defender a importância da flora nativa para a conservação da qualidade de vida da nossa gente.

Esta flora é a base da vida da nossa fauna nativa. Todos os animais nativos dependem dela direta ou indiretamente. Sem plantas não há alimento também para a vida do solo. Esta vida é a base da fertilidade dos solos graças a atividade de estruturação física e química que  determina. Um solo fértil gera uma vegetação forte que é fundamental também para protege-lo da erosão. Um solo com vegetação também aumenta a infiltração de água no lençol freático. Este fato é importante para a regularidade dos nossos cursos dágua. Uma região sem vegetação está mais sujeito a enchentes e desabamentos de encostas além de serem mais comuns as secas por falta de água no solo.

Uma região com vegetação tem abrigo para animais que controlam pragas  agrícola evitando a necessidade de agrotóxicos. Também atuam como quebra ventos amenizado o efeito destes sobre as plantações e residências. A vegetação nativa também aumenta o teor de umidade do ar e contribui para a regularidade dos microclimas e diminuindo oscilações brusca de temperatura e umidade. O que aumenta o conforto de quem vive perto delas.

A vegetação também é que modela a paisagem sendo um elemento muito importante na determinação da identidade de um povo. Ou alguém acha que o gaúcho seria o mesmo sem a pampa, o pinheiro ou a figueira?

Por estas razões todas o amante da natureza sempre procura trabalhar com a vegetação nativa nos espaços de cultivo ou mesmo num jardim. Com um sábio manejo da flora se pode conseguir uma série de benefícios ambientais que tornam a vida mais agradável e mais diversificada. Sempre haverá uma flor ou um pássaro para alegrar a vida. Uma sombra ou uma fruta para aliviar o cansaço e o verde para descansar os olhos e acalmar a alma. O que somada aos benefícios ambientais, que mencionamos de passagem, são fundamentais para a qualidade de nossas vidas. Por menor que seja o nosso espaço de manejo é sempre importante tomarmos todas as medidas possíveis para promover a conservação da vegetação nativa.

Arno Kayser – Agrônomo Ecologista e Escritor

Post a comment or leave a trackback: Trackback URL.

Comentários

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: