AGRONOMIA E QUESTÃO AMBIENTAL

Agricultura Moderna é uma das atividades humanas que mais altera paisagens naturais. Ao modificar ecossistemas naturais para convertê-los em agrossistemas produtivos é uma das responsáveis pelas devastações destes espaços.

Ainda é uma grande consumidora de recursos minerais. Na produção de fertilizantes químicos explora jazidas e consome energia para processá-los e transportá-los até as áreas de produção.

A água é outro bem natural demandado pela agricultura. Ela nem sempre retorna ao ambiente em boas condições de qualidade. Especialmente quando usada como diluente de agrotóxicos, dejetos de animais confinados e excessos de adubação.

Os agrotóxicos são outro impacto ao ambiente. Mesmo em doses controladas estas substâncias, por suas características inerentes trazem danos ao solo e aos vegetais e animais nativos.

O impacto do maquinário pesado sobre o solo é outro efeito da Agricultura. Leva a erosão e prejudica a produção. Solos erodidos tende a criar vossorocas e assorear rios, lagos e barragens. A compactação superficial reduz a absorção de águas, os regimes dos rios e a recarga dos aqüíferos.

As máquinas agrícolas também consomem grandes volumes de combustíveis fósseis geradores de CO2. O que somado as produções de metano de confinamentos animais e de culturas irrigadas por inundação contribuem para as mudanças climáticas.

A destruição de ecossistemas pela Agricultura ameaça a biodiversidade.

Por isto a Agronomia é desafiada a incorporar a questão ambiental no planejamento da produção animal e vegetal. Junto com variáveis econômicas, produtivas e sociais ela deve compor uma equação onde o desafio é manter rendimentos econômicos, distribuir renda, gerar oportunidades de trabalho e garantir a produção de alimento e matérias primas em equilíbrio com a proteção à natureza.

Felizmente cada vez mais surgem modelos e práticas agrícolas ecologicamente sustentáveis a comprovar a possibilidade de uma Agronomia em sintonia com o debate mundial de preservar e manter as bases produtivas naturais que são, em última instância, as mesmas dos agrossistemas agrícolas.

Estes cada vez mais devem se espelhar nos exemplos da produção de biomassa nos ecossistemas naturais para se converter em sistemas produtivos similares capazes de se perpetuar no tempo.

Os consumidores e o mercado mundial sinalizam nessa direção também. O que aumenta o desafio. E o fascinante é que ele exige dos Agrônomos mais conhecimentos científicos profundos para converter-se num profissional capaz de dialogar com os processos naturais e afastar se do modelo do técnico reprodutor de pacotes tecnológicos fechados agressivos ao ambiente.

A tarefa é imensa e exige de estudantes e profissionais profunda reflexão sobre os paradigmas nos quais vem se assentando a Agronomia para colocá-la em sintonia com a grande tarefa de manter as condições vitais para humanos e demais criaturas no Planeta Terra.

Arno Leandro Kayser

Engº Agrônomo, Crea RS 49505- Técnico da Fepam e Presidente do Comitesinos, Autor de “A reconciliação com a Floresta”. Edipuc/Mundo Jovem.

 

Post a comment or leave a trackback: Trackback URL.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: