A história do Horto Botânico de Novo Hamburgo

 

 

O Horto Botânico de Novo Hamburgo localizasse no bairro Mundo Novo de Novo Hamburgo. Esta Unidade de Conservação é a mais antiga do Município e representa uma página importante da história do trabalho em prol da natureza não só da cidade,  mas de toda a região.

História que começa no uso de seu futuro espaço para as aventuras do querido Irmão Nilo. Ele que foi uma dos mais respeitados conhecedores dos mistérios da natureza teve muitos momentos de reclusão neste território meditando e aprendendo sobre o poder de cura que este conhecimento proporciona. Isto quando o Horto Botânico ainda era terreno da Ordem Marista, na primeira metade do século XX.

A história do Horto propriamente dita inicia pela visão do ex prefeito Alceu Mossmann que, em 1971, criou neste local um espaço para a produção de mudas e flores para a nossa cidade ficar mais bela.

O trabalho foi continuado pelo Professor Albuquerque, já nos anos 80, que o usou como pilar para encher de árvores nativas a cidade. Um avanço em relação a monotonia dos ligustres que dominavam as vias públicas locais.

Árvores nativas que também povoaram áreas como o Parque Floresta Imperial e o Parque do Trabalhador, as margens dos arroios urbanos e tantas outras praças e áreas verdes de cidade.

Trabalho que continuou com a contribuição do autor, apoiado pelo Grande Secretário de Educação Ernest Sarlet, dentro do projeto “Do aipim ao computador”. Obra que foi o embrião do posterior trabalho de Monitores Ecológicos que as professoras Ana Witmann, Rosemari Reis, Solange Mânica e Maria Cecília Brau prosseguiram liderando muitas outras mulheres de garra que o tocaram pra frente.

Ação apoiada por gente humilde, mas de grande força de trabalho. Gente como o seu Cândido e dona Idalina, que, por anos, foram zelando por aquele espaço como se fosse a própria casa. Gente como o seu Hilário, viverista semi analfabeto, mas um mago com as mudinhas e de um saber botânico que poucas vezes vi na minha vida. Gente como o seu Vicente, seu Borba, Antônio Matias, seu Roberto, seu João, Valter, Seu Severino, Manoel e outros tantos trabalhadores que tomaram pra si o cuidado com o verde da nossa cidade e fizeram florescer centenas de milhares de mudas nativas. Plantas que se espalharam por este vale, junto com toneladas de alimento limpo distribuídos para a merenda de das crianças da rede municipal. Meninos e meninas que cresceram sabendo que é possível produzir, estudar e se alimentar sem destruir a natureza. Gente como o Carlos Drum, que também segurou a Peteca do local e dezenas de colaboradores anônimos como o seu Jaime e o Marcos Kieling, que sempre traziam umas sementinhas diferentes de suas viagens pra ver se davam aqui.

Infelizmente a administração pública ignora toda esta história, deste 1999. Ela trata todo este passado, de quase trinta anos, com tal desprezo que usou um espaço tão importante cedendo-o como moeda de troca para pagar dívidas do poder público com o instituto de previdência dos municipários. Dívida que continuou crescendo mesmo assim até a justiça determinar a devolução da área aos Municípios. Infelizmente esta devolução demorou tanto que não se pode retomar o trabalho anterior no local, pois ela havia sido transferido para outros locais.

A Secretario de Meio Ambiente da época deixou isto tudo acontecer parecer se dar conta do significado de um Horto com o da tradição e a qualidade do de Novo Hamburgo. Num total descompasso com a história. Qual seria a cidade que não desejaria ter um espaço assim? Quem de sã consciência deixaria se perder um espaço tão duramente construído e tão necessário numa cidade que assiste a cada dia a morte de suas áreas verdes?

Política que permitiu que um incêndio que destruísse boa parte de suas instalações.

Esperamos alguma hora destas alguma administração municipal crie vergonha na cara e pare de tratar com tanto desprezo um patrimônio de nossa comunidade.  A desafiamos a tomar uma atitude firme de reconstrução que recoloque o Horto no seu devido lugar que ele merece por tantos anos de serviços prestados a nossa comunidade.

Arno Kayser

Agrônomo, Ecologista e Escritor

 

Post a comment or leave a trackback: Trackback URL.

Comentários

  • marilene de araujo  On 22/09/2012 at 16:37

    eu penso da mesma forma que voce pois quando li a sua mensagem fiquei arrepiada pois é muito triste ver toda essa história se perder sem poder fazer nada e vendo as pessoas que podem simplismente cruzarem os braços sem dar a menor importancia .

    • arnokayser  On 24/09/2012 at 01:55

      agradeço o comentário e a visita no blog.
      Quanto ao Horto eu lamento muito que este esepço não seja mais utilizado na forma que foi no passado.
      arno kayser

  • Braian  On 08/04/2015 at 23:43

    Posso corrigir um dado importante? Não há bairro chamado Mundo Novo em Novo Hamburgo. Temos o residencial e a rua com mesmo nome, porém ambos ficam localizados no bairro Canudos! O maior bairro do municipio e onde também se encontra o centro administrativo da cidade.

    • arnokayser  On 09/04/2015 at 11:34

      Caro Brian!

      Obrigado pela sua visita no meu Blog e pela leitura do artigo sobre o Horto.

      Também agradeço seu comentário.

      Tecnicamente você está certo quanto ao Bairro Canudos. Ele é um único bairro.

      Eu moro em Canudos no loteamento São Rafael.

      Mas tradicionalmente o bairro é dividido em várias denominações pela própria população de Canudos.

      Denominações que servem para todos se localizar na sua imensidão e que são fruto de um processo histórico ao longo de sua ocupação.

      Temos a Vila Kunz, Esmeralda, Aeroclube, Icaro entre outras.

      O Mundo Novo é uma destas denominações. Por isto a citação no texto, para facilitar a vida dos leitores.

      abraço
      arno kayser

  • Luana Silva da Rosa  On 19/07/2015 at 10:20

    Sou estudante de Biologia e tentei achar no Google o telefone do Horto Municipal de Novo Hamburgo, o que acabou me trazendo até esta matéria. Fiquei muito triste ao ler, pois nos anos de 1993 e 1994 eu era apenas uma criança, mas já era uma Monitora ecológica. Eu e os demais monitores da minha escola (Tancredo Neves, no Bairro Canudos) frequentávamos o Horto e participamos dessa linda história. Me orgulgo de andar pela praça 20 de Setembro (praça 20, como chamamos) e poder ver que árvores que plantei com minhas próprias mãos estão maiores que eu e que estão a mais de 20 anos fornecendo oxigênio para nossa cidade.
    O Horto Municipal fez parte da minha história, e me orgulho disso, motivo pelo qual procurei o telefone no Google a fim de entrar em contato com a equipe responsável e me oferecer para fazer trabalho voluntário no cultivo de mudas como fazia a 20 anos atrás.
    Fiquei muito chocada! Gostaria de poder fazer algo a respeito!

    • arnokayser  On 28/07/2015 at 14:57

      Cara Luana!

      Para mim que trabalhei mais de onze anos lá é um tristeza o que ocorreu com o lugar. Passei muitos anos sem ir lá. Recentemente fiz uma visita.O local está abandonado, há deposito de lixo de carroceiros. Felizmente as árvores tomaram conta do local. Mas a bela paisagem e o cuidadoso trabalho de produção se perdeu.

      O único consolo é saber que gente como você teve uma motivação a partir desta experiência para seguir o caminho da biologia.

      E saber que muidas das árvores que cultivamos lá crescem por aí.

      Atualmente a prefeitura de NH segue com a atividade lá em Lomba Grande no centro professor Sarlet e com aulas no parcão.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: