LUTZ E NOVO HAMBURGO

Para que se interessa sobre a vida do grande ecologistas José Lutzenberger foi lançado o livro “Sinfonia Inacabada” . Trabalho de Lilian Dreyer para a editora Pelo Planeta. Um texto excelente baseado em muitas pesquisas, depoimentos do biografado e entrevistas com pessoas que trabalharam e conviveram com um dos maiores ecologistas do século XX.

Um aspecto que chama a atenção é sua ligação com a cidade de Novo Hamburgo. Lutzenberger é filho de Emma e neto de Jacob Kroeff Filho do bairro histórico de Hamburgo Velho. Também é sobrinho de Pedro Adams Filho, um dos pioneiros da indústria calçadista que faz a fama da cidade.

O pai de lutz, famoso arquiteto e artista plástico, foi contratado para projetar a reforma igreja católica de Hamburgo Velho. Ocasião em que conheceu sua futura esposa. O casamento foi em fevereiro de 1926.

Lutz viria muitas vezes á Hamburgo Velho visitar os tios e avós. Entre 1941 e 42 estudou, como aluno interno, no Colégio São Jacó. Época em que costumava  se aventurar pelos campos que hoje formam nosso Parcão. Espaço que ele reconheceu e ficou muito feliz de ver transformado em parque numa visita feita nos inícios dos anos 90.

Mais tarde, já ecologista famoso, Lutz começou a atuar como consultor na cidade.

A primeira tentativa não deu muito certo. Em 1984 o pessoal da Casa Natural e o Newton Alano trouxeram ele para uma série de contatos. Estava se iniciando o Sítio Pé na Terra e haviam outras pessoas interessadas em formar uma rede de produtores orgânicos ligados á marca Coolimpa que estava se organizando. Lutz pediu um agrônomo local. Fato que me pôs em contato com o mestre. Mas o processo não evoluiu.

Anos mais tarde, em 1989, quando a justiça interditou o lixão da vila Kroeff, o Prefeito Paulo Ritzel chamou Lutzenberger para ajudar na solução do caso. Lutz já tinha uma experiência com o lixo de Porto Alegre e na cidade de Guaíba.

Sua idéia inicial era fazer a recuperação do lixão da vila Kroeff(que ficava em antigas terras de seus antepassados e, para ele, uma questão pessoal) e sobre este local implantar uma central de reciclagem. Fato que não foi permitido pela justiça. Em função disto o trabalho foi para a Roselândia aonde funciona até hoje. A idéia de uma cooperativa de recicladores surgiu de suas idéias e funcionou muito bem enquanto teve a assessoria da equipe do Lutz. Mais tarde o Prefeito Atalíbio Foscarini provocou o abandono do trabalho de Lutzenberger. Mas durante uns 4 anos ele veio várias vezes acompanhar o trabalho que também incluía uma central de resíduos na Rondônia. Vários prefeitos  e governadores visitaram o local.

Em 96 Lutzenberger veio trazer sua contribuição ao Seminário do Centenário de Henrique Roessler fazendo uma concorrida palestra na Feevale. Oportunidade de retorno ao velho São Jacó de sua adolescência.

Em 98 Lutz veio no aniversário de 20 anos do Movimento Roessler. Em ambas as ocasiões aproveitou para registrar seu reconhecimento ao trabalho do velho Roessler e seu pioneirismo e coragem na luta ambiental.

Arno Kayser

Agrônomo, Ecologista e Escritor

Post a comment or leave a trackback: Trackback URL.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: